Fale conosco pelo WhatsApp

Telerradiologia e seus benefícios

16 de novembro de 2021 | | 0
Médico analisando raio-x
(Banco de imagens: Shutterstock)

Técnica permite que regiões distantes dos grandes centros médicos sejam atendidas, remotamente, por profissionais experientes

A telerradiologia é um dos muitos usos que se pode fazer da telemedicina. A telemedicina, por sua vez, nasce da soma da medicina com a telemática (união das telecomunicações – telefonia, satélite, cabo, fibras ópticas – com a informática – computadores, softwares e sistemas de redes).

Descrita de outra forma, a telerradiologia é a especialidade que permite a avaliação remota de dados visuais e o diagnóstico por imagem, gerando laudos digitais.

Ou ainda, na definição dada pelo Conselho Federal de Medicina (CFM), a telerradiologia corresponde ao “exercício da Medicina, onde o fator crítico é a distância, utilizando as tecnologias de informação e de comunicação para o envio de dados e imagens radiológicas com o propósito de emissão de relatório, como suporte às atividades desenvolvidas localmente”.

Vale observar que a telerradiologia compreende os exames de diagnóstico por imagem das seguintes subáreas:

  • Densitometria óssea;
  • Tomografia;
  • Radiologia geral;
  • Ressonância magnética;
  • Mamografia;
  • Medicina nuclear.

Como é feita a telerradiologia

Para que se possa empregar a telerradiologia, é necessário um equipamento com tecnologia digital, uma plataforma de telemedicina e um técnico em radiologia.

Testes menos complexos, como o raio-X e a mamografia digital, podem ser realizados pelo técnico, desde que ele esteja devidamente capacitado para tanto, segundo resolução do CFM.

No exame, o aparelho digital captura sinais e os envia a um computador dotado de software específico para a telerradiologia. A máquina os converte em pixels (menores pontos em uma imagem digital). Esses pixels unem-se, no outro extremo da rede, para formarem imagens dos exames.

Então, radiologistas logados no sistema enxergam, avaliam e interpretam tais imagens, registrando suas observações e conclusões no laudo médico online. Esse documento recebe uma assinatura digital e é liberado na plataforma em até 30 minutos após o técnico colocar as imagens do exame no portal.

O laudo remoto fica, enfim, pronto para ser salvo, impresso ou enviado ao médico que solicitou o exame.

Desta forma, mesmo pacientes em locais distantes dos grandes centros médicos podem usufruir do conhecimento e da expertise dos melhores especialistas sem terem de se deslocar às regiões urbanas (onde tais especialistas geralmente residem).

7 benefícios da telerradiologia

Os ganhos para a atividade médica, para o bem-estar e mesmo para a preservação da vida de pacientes proporcionados pela telerradiologia são imensos.

E isso levando em conta que a prática não está ainda de todo difundida; quanto mais a telerradiologia se expandir, mais pessoas serão por ela auxiliadas.

Alguns dos benefícios mais palpáveis da técnica são:

  • Atendimento ágil – A telerradiologia põe fim às longas filas de espera por atendimento, o que é um grande ganho para clínicas, hospitais e prontos-socorros que padecem da falta de radiologistas e da demora na troca e/ou conserto de aparelhos quebrados;
  • Diagnóstico remoto – Talvez o que de melhor a telerradiologia nos traz. A possibilidade de diagnóstico a distância propiciada pela técnica leva à excelência dos melhores especialistas até os menores e mais remotos municípios de um país;
  • Ameniza a falta de radiologistas – Se não existem radiologistas em certo local, ou há sobrecarga de laudos médicos a serem feitos, a telerradiologia mostra-se extremamente útil, dado que graças a ela pode-se contar com mão de obra extra em momentos de crise;
  • Rapidez na liberação de laudos – Na telerradiologia, ao menos uma equipe de atendimento costuma ficar de prontidão 24 horas, sempre. Radiologistas experientes decifram as imagens que lhes foram enviadas eletronicamente em minutos e dão seu parecer. Tamanha celeridade pode significar, algumas vezes, a diferença entre a vida e a morte para um paciente;
  • Baixo custo – A técnica diminui as despesas em hospitais, pois com ela não se faz necessário manter uma estrutura completa na unidade de atendimento, dado que a empresa de telerradiologia é que avaliará o laudo a partir das imagens recebidas via web;
  • Segurança na operação – Os dados que viajam pela rede na telerradiologia são criptografados. Apenas o emissor (o técnico) e o receptor (médico que faz o diagnóstico) têm acesso às imagens. A telerradiologia, na verdade, é considerada mais segura do que a própria radiologia convencional;
  • Laudos de alta qualidade – A telerradiologia conta com médicos radiologistas especialistas em várias áreas, tais como radiologia ortopédica, neurológica, cardiovascular A técnica democratiza o conhecimento destes profissionais, fazendo com que um maior número de pessoas tenha acesso aos serviços de excelência por eles prestados.

A telerradiologia foi regulamentada pela primeira vez no Brasil em 2009, através da Resolução 1.890 do CFM. Cinco anos depois, em 2014, o documento foi substituído pela Resolução 2.107 do CFM, que ainda está em vigor e é atualmente a norma mais relevante a respeito no Brasil.