SEO para YouTube – Fatores de ranqueamento para YouTube

Fator Ranking Youtube

Nós analisamos 1.3 milhões de vídeos do YouTube para entender melhor como o mecanismo de busca do YouTube funciona. Especificamente, nós olhamos a correlação entre os fatores de posicionamento — como visualizações, comentários e compartilhamento — com os rankings do YouTube, assim como em SEO.

Nós aprendemos bastante sobre o SEO para YouTube e estamos certos de que você também irá aprender. Aqui está o resumo sobre o que nós descobrimos:

Infográfico Fatores de Ranqueamento Youtube

Infográfico em alta

  1. Comentários parecem ser um forte fator de ranqueamento. Nós descobrimos que a quantidade de comentários de um vídeo está fortemente correlacionada com melhores posicionamentos.
  2. Vídeos longos geralmente têm desempenho superior ao de vídeos curtos. A média de duração de um vídeo na primeira página do YouTube é de 14 minutos e 50 segundos.
  3. Nós descobrimos que as visualizações de um vídeo têm significativa correlação com os rankings.
  4. O número de compartilhamentos que um vídeo gera está altamente relacionado com o posicionamento na primeira página do YouTube.
  5. Existe uma correlação moderada entre o número de inscritos de um canal e o seu posicionamento. Isso significa que mesmo canais menores têm chances de posicionar vídeos no YouTube.
  6. Curtidas estão totalmente correlacionadas com rankings mais altos.
  7. Inscritos habilitados têm uma razoável correlação com rankings. No entanto, vídeos que resultam em novos assinantes têm preferência na busca do YouTube.
  8. Nós descobrimos uma relação muito pequena entre tags e rankings. Isso pode representar o fato de que, agora, o YouTube é capaz de entender o conteúdo do vídeo sem a ajuda dos metadados.
  9. Vídeos que contêm a palavra-chave que faz correspondência exata com a pesquisa no título parecem ter uma ligeira vantagem sobre aqueles que não têm. Isso significa que incluir uma palavra-chave em seus títulos pode melhorar seu posicionamento significativamente.
  10. Nós não encontramos nenhuma correlação entre vídeos com descrições otimizadas por palavras-chave e o posicionamento deles.
  11. Vídeos em HD dominam os resultados de busca do YouTube. 68,2% dos vídeos da primeira página do YouTube são em HD.

Abaixo, detalhamos os dados e informações de nossas descobertas.

Comentários nos vídeos têm uma forte correlação com o ranqueamento

O YouTube encoraja que os criadores de vídeo maximizem o engajamento ao publicarem vídeos. Assim, não é preciso dizer que os comentários são um forte indicador sobre o quanto as pessoas estão se engajando com seu vídeo.
Mas o YouTube usa os comentários como um sinal de ranqueamento? Nossos dados sugerem que sim:

Gráfico de comentarios no YoutubeComo você pode ver no gráfico acima, quanto mais comentários um vídeo tem, maior é a tendência de ele ser melhor ranqueado. Considerando a ênfase do YouTube no engajamento do usuário, isso não é uma grande surpresa.
Aprendizado: Vídeos com muitos comentários tendem a ter rankings melhores no Youtube.

Vídeos longos são melhores que vídeos curtos

Quando falamos de SEO para vídeos, você acha que deve criar vídeos curtos ou que é melhor desenvolver vídeos longos, que cobrem profundamente o tópico abordado?

Nós analisamos nossos dados para descobrir. Os dados que analisamos mostram que vídeos longos tendem a superar significativamente os vídeos curtos.

Tamanho do Video Youtube

De fato, a duração média de um vídeo na primeira página do YouTube é de 14 minutos e 50 segundos.

Por que?

O YouTube confirmou publicamente que o tempo total de exibição de um vídeo é um fator de ranqueamento.

Além disso, em 2015, o Google garantiu a patente de um algoritmo que utiliza o tempo de exibição como um fator de ranking. Para resumir, o YouTube quer promover vídeos que mantenham as pessoas assistindo por um longo período. Para essa tarefa, os vídeos longos são os que fazem o melhor trabalho.

Outra teoria é de que os vídeos longos fornecem mais informações em um único vídeo. Isso é verdade para vídeos de “como fazer” e, também, para conteúdos de entretenimento. O conteúdo que os vídeos longos fornecem pode encorajar uma maior interação (incluindo comentários e curtidas), o que definitivamente impacta nos rankings.

De fato, se você fizer uma pesquisa rápida de palavras-chave populares, terá dificuldade em encontrar um vídeo curto (menor que 3 minutos) bem posicionado nos resultados de busca.

Exemplos de vídeos longos

Aprendizado: Vídeos longos têm melhor performance na busca do YouTube. A média de duração de um vídeo na primeira página do YouTube é de 14 minutos e 50 segundos.

Compartilhamentos estão fortemente correlacionados com posicionamentos melhores

O Google tem negado consistentemente o fato de que os sinais sociais impactam os algoritmos dele. No entanto, o algoritmo do YouTube trabalha de forma independente do Google. Então há a possibilidade de que o YouTube utilize os compartilhamentos das mídias sociais, como Facebook, Twitter e LinkedIn, como um fator de posicionamento. De fato, nós descobrimos que compartilhamentos têm uma forte correlação com rankings maiores no YouTube.

Total de compartilhamentos de Video

Por que isso é importante?

Um dos maiores problemas em utilizar os compartilhamentos sociais como critério de ranqueamento é que eles são facilmente manipulados. Qualquer um pode oferecer alguns reais para uma pessoa compartilhar um conteúdo 100 vezes no Facebook.

Esse não é o caso do YouTube.

Diferentemente de compartilhar um conteúdo utilizando os botões de compartilhamento em uma página da web, o YouTube sabe quais são os usuários que compartilham o conteúdo e onde eles compartilham.

Compartilhamento Video
Esse rastreamento torna esse critério muito mais difícil de manipular.

Combine isso com o fato de que o YouTube encoraja seus publishers a criarem conteúdo altamente compartilhável (e esse relatório é compartilhado pelo YouTube Analytics) e você terá uma forte possibilidade de que o relacionamento entre compartilhamentos e rankings seja mais do que uma chance de correlação.

Aprendizado: Vídeos com alto número de compartilhamentos ganham de vídeos com poucos compartilhamentos.

Visualizações estão significativamente correlacionadas com os rankings

Visualizações costumavam ser o fator número 1 de posicionamento no Youtube. O pensamento era: muitas visualizações = vídeo popular = vídeo de qualidade.

Entretanto, o YouTube descobriu que visualizações frequentemente servem como um fraco indicador da qualidade de um vídeo e, então, mudou o algoritmo para enfatizar fatores como retenção de audiência e engajamento.

Porém, nós descobrimos que o total de visualizações de um vídeo continua a ter significativa correlação com rankings.

Número de views do youtube

Ao que parece, você ainda precisa de uma grande quantidade de visualizações para ranquear no YouTube. De fato — de acordo com um engenheiro do YouTube — embora o número visualizações já não seja mais tão importante quanto antes, o YouTube ainda o utiliza. Isto é explicado pelo fato de que, sem visualizações, seu vídeo não pode gerar os outros sinais que o YouTube utiliza para avaliar a qualidade, como tempo total de exibição e comentários.

Ao mesmo tempo, é possível, usualmente, ver vídeos de alta qualidade melhores ranqueados do que vídeos de menor qualidade, mesmo quando eles possuem significativamente mais visitas.

Exemplo de viewsAprendizado: Visualizações de vídeo estão diretamente correlacionadas com maiores rankings no YouTube.

O número de inscritos de um canal está moderadamente correlacionada com rankings

Nós descobrimos uma correlação moderada entre o total de assinantes de um canal e seus posicionamentos:

Numeros de inscritos do Canal

Esta é uma boa notícia se você é responsável pelo gerenciamento para Youtube de um canal novo ou ainda pequeno.

Ao contrário do Google, que parece ter uma preferência por marcas maiores, o YouTube está mais disposto a ranquear conteúdo de canais iniciantes.

Por exemplo, para esta palavra-chave popular, vídeos de canais pequenos se sobressaem a vídeos de um canal com mais de 300 mil de inscritos:

relação de inscritos e ranking

Esse tipo de resultado não é incomum no YouTube.

É claro que canais com milhões de assinantes têm uma vantagem, mas nossos dados mostram que esta vantagem não é tão significativa quanto você pode pensar.

Aprendizado: Canais com muitos assinantes têm uma vantagem no YouTube. No entanto, vídeos de canais menores constantemente se sobressaem a vídeos de canais populares.

Vídeos com muitas curtidas são melhores que vídeos com poucas curtidas

Não é segredo que o YouTube prefere vídeos que engajem a audiência. E as curtidas servem como um poderoso sinal de engajamento, pois são uma maneira de avaliar como a comunidade do YouTube se sente sobre seu vídeo.
Essa é a teoria. Mas o que os dados dizem?

Nosso estudo revelou uma significativa correlação entre as curtidas e os rankings dos vídeos.

Numero de gostei nos videos

Isso sugere que o YouTube pode usar as curtidas como um sinal de ranqueamento.

No entanto, como você sabe, nem sempre as correlações são exatas. Vídeos como muitas curtidas têm maiores probabilidades de serem de alta qualidade e vídeos de alta qualidade geram outros fatores de ranqueamento (como retenção de audiência) que o YouTube também valoriza.

Aprendizado: O YouTube pode usar as curtidas como um fator de ranqueamento ou, também, pode ser que vídeos com alto número de curtidas gerem outros sinais que o YouTube realmente valoriza.

Vídeos que resultam em novos inscritos para o canal têm rankings maiores do que aqueles que não geram inscritos

Se uma pessoa realmente gosta de um vídeo no YouTube, o que ela geralmente faz? Se inscreve naquele canal e, então, poderá ver outros vídeos do canal futuramente.

Em outras palavras, um vídeo que encoraja muitos assinantes é um sinal certo de qualidade. Não apenas isso, mas conseguir novos assinantes é uma meta extremamente importante para escalar seu conteúdo. É óbvio que você pode conseguir algumas pessoas (ou robôs) para se inscreverem em seu canal depois que assistem a um vídeo., mas é muito mais difícil do que gerar milhares de revisões ou curtidas falsas.

Sabendo disso, é provável que o YouTube utilize os “inscritos habilitados” como um fator de ranqueamento.
Nossos dados mostram uma profunda correlação entre os inscritos habilitados e melhores posições no ranking do YouTube.

Inscritos Habilitados Youtube

Assim como ocorre com os compartilhamentos, o YouTube exibe o número de inscrições geradas abaixo de cada vídeo.

Inscritos Habilitados Youtube

(Os produtores podem escolher não mostrar essa informação publicamente).

Como a maioria das métricas, você pode impulsionar o número de assinantes que seu vídeo gera ao criar um vídeo incrível, de primeira linha, para a comunidade. No entanto, você também pode pedir para os espectadores se inscreverem no seu canal.

Inscritos no Canal

Nós descobrimos que um call-to-action de inscrição bastante visível aumenta significativamente as inscrições geradas em cada vídeo.

Aprendizado: “Inscritos Habilitados” têm uma correlação forte com os rankings do YouTube.

Keywords e tags têm uma fraca correlação com os rankings do YouTube

Nos primórdios dos vídeos online, plataformas como o YouTube utilizavam os metadados para entender o tópico de um vídeo. Por exemplo, o YouTube analisaria o título de um vídeo, descrição, tags e até o nome do arquivo do seu vídeo. Essencialmente, quanto mais você pudesse acrescentar ao seu vídeo, melhor. Hoje, o YouTube pode “escutar” cada palavra do seu vídeo sem a necessidade de fazer upload de uma legenda. Sabendo disso, o YouTube ainda utiliza metadados?  Nós encontramos uma fraca correlação entre tags de um vídeo e seu posicionamento.

Uso de tags no Youtube

Enquanto as tags não parecem ser tão importantes como elas eram, nossos dados mostram que elas ainda têm uma pequena correlação com os rankings. Então faz sentido utilizá-las.

Além disso, o YouTube recomenda que você use tags descritivas. Isso sugere que eles ainda utilizam tags para entender o conteúdo e o contexto do seu vídeo.

Aprendizado: Incluir palavras-chave como tag pode te ajudar com rankings, mas o impacto geral das tags parece ser pequeno.

Títulos otimizados por palavras-chave estão levemente correlacionados com rankings

Tradicionalmente, o título do seu vídeos eram um peça de metadado que o YouTube dava muita ênfase.
No entanto, nós descobrimos que uma palavra-chave exata no título do seu vídeo tem apenas um leve impacto potencial nos rankings.

Título exato Youtube

Estes achados podem significar algumas coisas:

Pode ser que o YouTube deixou de enfatizar a importância dos títulos de vídeos, embora isso pareça improvável, uma vez que o YouTube declarou que: “Títulos contém informações valiosas para ajudar os usuários a encontrá-los nos resultados de busca”.

O mais provável é que o YouTube tenha desenvolvido um sistema que entenda profundamente o significado de um título (além da simples correspondência de palavra-chave). Em outras palavras, eles podem usar uma versão menos sofisticada da busca semântica do Google. Sendo assim, o YouTube não precisa ver uma específica palavra-chave no seu título para ranquear o vídeo em uma pesquisa exata. Um sinônimo pode ser o suficiente para fazer esse trabalho.
De fato, é comum ver vídeos bem posicionados no YouTube para palavras-chave populares, mesmo quando os títulos deles não contêm o termo exato.

Exemplo de Título Exato Youtube

Aprendizado: Usar palavras-chave no título pode melhorar o seu posicionamento. Entretanto, a relação entre palavras-chave e títulos é muito fraca.

Não há correlação entre descrições otimizadas por palavras-chave e rankings por estes termos

Incluir uma palavra-chave na descrição do seu vídeo ajuda a ranqueá-lo para aquele termo?
De acordo com nossos dados, descrições otimizadas por palavras-chave não têm nenhum impacto nos rankings:

Palavra-chave descrição do video Youtube

Este achado contradiz uma “boa prática” comum de otimização de vídeos: descrições otimizadas por palavras-chave.

Existem algumas explicações para essa descoberta:

  1. Primeiro, assim como ocorre com os títulos, o YouTube pode não precisar de uma palavra-chave exata na descrição para entender sobre o que se trata o vídeo. Por exemplo, digamos que você queira se posicionar para a palavra-chave “como fazer os tomates crescerem”. Usar termos em sua descrição como “crescimento de tomates” e “melhor jeito de crescer tomates” também pode funcionar.
  2. Segundo, há uma possibilidade de que o YouTube utiliza o critério “contém palavra-chave na descrição” como um sinal de posicionamento, mas é tão pequeno que não conseguimos sequer mensurá-lo. Nós achamos diversos vídeos sem descrição na primeira página, o que implica que as descrições dos vídeos não são tão importantes como outros sinais, como visualizações e assinaturas conquistadas por meio destes vídeos.
  3. Terceiro, pode ser que o YouTube agora ignore descrições de vídeo como um fator de ranqueamento. Isso é improvável, dada a declaração do YouTube de que “descrições bem escritas, com palavras-chave exatas, podem impulsionar visualizações e tempo de exibição porque elas ajudam o vídeo a aparecer nos resultados de busca.”

Apesar desse achado, nós ainda recomendamos escrever descrições ricas, contendo palavras-chave. Por que?
Uma descrição otimizada pode aparecer na barra lateral de vídeos sugeridos, que é uma significativa fonte de visualizações para a maioria dos canais.

Aprendizado: Não há correlação entre descrições otimizadas por palavras-chave e rankings por este termo. Entretanto, nós ainda recomendamos escrever uma descrição rica, contendo palavras-chave, a fim de ajudar seu vídeo a ranquear para termos relacionados e aparecer na barra lateral como “vídeos sugeridos”.

Vídeos em HD dominam a primeira página dos resultados de busca do YouTube

Vídeos de em HD são melhores que vídeos em SD (standard definition) na busca do YouTube?
Nós descobrimos que vídeos em HD aparecem significativamente mais do que os vídeos em SD na primeira página do YouTube:

Vídeos são em HD

Esses dados podem ser interpretados de duas maneiras:

Primeiro, pode ser que YouTuber’s que criam melhor conteúdo de vídeo tendem a gravar em HD. Assim sendo, esse seria um exemplo de correlação contendo apenas parte da história.

Segundo, existe a possibilidade de que o YouTube tenha uma inerente preferência para conteúdos em HD.

É difícil determinar todo o impacto do HD vs. SD nos dados de nossa correlação. Ainda assim, a vasta maioria dos vídeos que têm bons posicionamentos no YouTube são em HD. De fato, 68,2% de todos os vídeos na primeira página do YouTube são em HD.

Aprendizado: Vídeos em HD são significativamente mais comuns na primeira página dos resultados de busca do que vídeos em SD.

Sobre os resultados da pesquisa e fonte:

Eu gostaria de deixar um grande “thank you” ao Brian Dean do Backlink.com que autorizou a tradução dos resultados da sua pesquisa com 1,3 milhões de vídeos do Youtube. Os detalhes do método podem ser encontrados aqui.

Artigo original: http://backlinko.com/youtube-ranking-factors

Deixe no comentários sua percepção sobre esses resultados 🙂