Fale conosco pelo WhatsApp

Qual a melhor rede social para sua clínica médica?

19 de novembro de 2021 | | 0
(Banco de imagens: Shutterstock)

Facebook, Instagram e LinkedIn, além de iMeds, Ology e outras, têm cada uma suas qualidades e atrativos

A melhor rede social para clínicas médicas será aquela cujo perfil dos usuários mais se adequar ao perfil do estabelecimento em questão. Este será o principal fator a ser levado em conta na decisão de em qual, ou em quais, redes sociais investir para a divulgação do empreendimento.

Cada estabelecimento de saúde deve estar presente de forma incisiva na rede social, ou nas redes sociais, que escolher – de preferência contratando profissionais, como os de alguma agência de marketing digital, visando criar e gerir seu perfil em tais redes.

Para alavancar a carreira de um profissional da medicina, a escolha da melhor rede social para clínicas médicas é realmente muito importante.

Escolhas acertadas nesta questão levam o profissional a atrair clientes e aumentar o faturamento e a lucratividade de seu estabelecimento; já escolhas equivocadas causam danos à imagem do médico. Comunicação e marketing são campos nos quais há pouca margem para erros.

A melhor rede social para clínicas médicas: características das principais redes

As principais redes sociais no Brasil de hoje são: Facebook, Instagram, Twitter, LinkedIn, Youtube e TikTok.

Há também as redes sociais específicas para médicos e estabelecimentos de saúde, sobre as quais falaremos adiante: iMeds, Ology, Doximity e Doctors Way.

Quanto às redes sociais voltadas para o grande público, e sua conveniência para profissionais da medicina, pode-se fazer as seguintes considerações:

  • Facebook – É a rede mais relevante em todo o mundo, já há muitos anos. De algum tempo para cá, vem perdendo membros para outras redes. O Facebook atinge, hoje, predominantemente jovens adultos, adultos propriamente ditos e pessoas de meia-idade. Permite a criação de páginas comerciais, além de perfis pessoais. É uma rede na qual sua clínica médica precisa estar, pois é usada como referência para a consulta sobre quaisquer estabelecimentos comerciais;
  • Instagram – Rede voltada à divulgação de imagens e, secundariamente, de vídeos (através dos recursos Stories e Reels). É informal e mais usada por adolescentes (mas há também muitos adultos lá). É bastante aconselhável que sua clínica tenha uma conta no Instagram – e também que você, médico, tenha uma conta, própria e profissional, ali;
  • Twitter – Rede predominantemente adulta. O ideal é que o profissional tenha uma conta no Twitter em seu próprio nome e a use para divulgar conteúdo sobre sua área de especialização na medicina;
  • LinkedIn – Rede exclusiva para contatos profissionais. Não é muito usada por médicos, mas é interessante que ao menos seu consultório ou clínica tenha página própria por lá;
  • Youtube – O Youtube é uma rede de compartilhamento de vídeos. Tem grande popularidade entre os jovens e muitos profissionais da medicina criam canais próprios nela, onde colocam vídeos discorrendo sobre sua área. É a rede mais indicada para quem deseja tornar-se um influenciador digital na medicina;
  • TikTok – É uma rede para crianças e adolescentes. Publica vídeos curtos, geralmente humorísticos ou de dança. Por enquanto, o TikTok ainda não é um local indicado para a divulgação de atividades profissionais como a medicina.

Redes específicas para medicina: quais são e o que oferecem

Além dessas mídias sociais, que atingem a grande maioria da população, já existem há algum tempo redes específicas para médicos e estabelecimentos de saúde. Elas hospedam, por exemplo, páginas de consultórios, clínicas e hospitais, além de perfis de profissionais da medicina.

Vamos, agora, explicar algumas delas:

  • iMeds – Na iMeds você cadastra um mini currículo e tem disponível a montagem de um site para divulgar seu trabalho. As ferramentas incluem discussão de casos clínicos, pasta para artigos científicos e fóruns de debates. É focada em estudantes de medicina, professores da área e médicos já formados;
  • Ology – É uma rede social que visa facilitar o dia-a-dia do profissional da medicina. Traz ferramentas tais como recursos sociais, rede profissional, calculadoras, prescrição eletrônica, videoconferência e outras;
  • Doximity – Lançada há 10 anos nos EUA, é a principal rede de médicos daquele país. Sua meta é gerar conexões entre profissionais da saúde (enfermeiros, farmacêuticos, médicos etc). Também facilita o acesso a revistas de medicina e vagas de trabalho na área;
  • Doctors Way – Trata-se da maior rede social para médicos do Brasil. Foi pensada visando expandir as relações entre os profissionais da área. Também oferece várias ferramentas eletrônicas úteis para médicos.

As regras do CFM para as redes sociais

O Conselho Federal de Medicina (CFM) estabelece certas regras para a presença de profissionais e empresas de saúde em mídias, ou redes, sociais.

São regras que, basicamente, determinam o que não pode ser feito nas redes.

Pelas mesmas, é vetada a:

  • Publicação de fotos do tipo “antes e depois”;
  • Publicação de fotos de pacientes para fins promocionais;
  • Propaganda dos equipamentos da clínica;
  • Informações acerca de supostas “técnicas exclusivas” de uma clínica;
  • Informação acerca de preços de consultas e procedimentos;
  • Uso de expressões exageradamente adjetivadas, como “o maior”, “o melhor” ou “resultado garantido”.

Uma vez respeitadas tais normas, a presença de médicos nas redes sociais é algo positivo, tanto para os profissionais quanto para pacientes em potencial, os quais têm acesso nestas mídias a serviços de que necessitam.