Fale conosco pelo WhatsApp

6 principais serviços médicos à distância

17 de novembro de 2021 | | 0
Pessoa medindo pressão em chamada com médico
(Banco de imagens: Shutterstock)

Telepsiquiatria, teleoftalmologia e monitoramento da saúde em tempo real são alguns dentre eles

Os serviços médicos à distância são hoje uma das mais fortes tendências encontradas no setor de saúde. Eles estão se disseminando pela sociedade, tanto no Brasil quanto fora do país. Há diversos fatores que contribuem para tal tendência, que certamente veio para ficar.

Eles, os serviços médicos à distância, já vinham sendo cada vez mais usados antes da crise sanitária da Covid-19, mas tratava-se até então de um processo relativamente lento.

Porém, em 11 de março de 2020, Tedros Adhanom, diretor geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), declarou que a doença se tornara uma pandemia (ou seja, uma epidemia que afeta todo o planeta) e que o vírus que a causava (o Sars-Cov-2) estava totalmente fora de controle.

O distanciamento físico (chamado de distanciamento social) se tornou obrigatório na maior parte dos países, ainda que em graus diferentes, durante todo o ano de 2020 e boa parte de 2021.

No entanto, as pessoas continuaram precisando cuidar de sua saúde – e os serviços médicos à distância foram um dos meios mais usados para tanto.

Agora, mesmo com o relativo arrefecimento da pandemia, os pacientes e profissionais da medicina acostumaram-se a eles e os serviços médicos à distância, devido às suas muitas qualidades, permanecerão sendo usados com a mesma intensidade – ou com intensidade ainda maior.

A diversidade dos cuidados remotos em saúde

Quais são os principais serviços médicos que podem ser oferecidos à distância?

Há muitos que poderiam ser citados, mas vamos listar abaixo, para seu conhecimento, os 6 principais:

  • Teleconsulta – É a consulta médica clássica, só que feita pela internet ou, mais raramente, por telefone. Para a mesma, usam-se plataformas de comunicação instantânea (geralmente na forma de aplicativos para celular, os chamados apps), tais como o Zoom e o WhatsApp;
  • Telerradiologia – Trata-se da prática pela qual o técnico em radiologia faz o teste, porém manda o resultado ao médico via plataforma online. Um profissional da medicina analisa as imagens, faz o laudo e o remete a outro médico, responsável pelo paciente;
  • Telepsiquiatria – A psiquiatria é uma especialidade médica conduzida quase que somente via consultas entre médico e paciente. São poucos os exames nesta área, ao menos feitos no consultório. Por tais características, a telepsiquiatria se torna uma excelente opção para pessoas com doenças de fundo emocional tratarem-se sem precisar se deslocarem fisicamente;
  • Teleoftalmologia – Aqui, trata-se de uma avaliação ocular, visando determinar a capacidade dos olhos de identificar detalhes espaciais – quer dizer, se a pessoa consegue ou não discriminar o contorno e a forma dos objetos. Na teleoftalmologia, um exame de acuidade visual é feito por técnicos e enfermeiros em qualquer clínica, ambulatório ou hospital, e mandado digitalmente para que oftalmologistas o analisem;
  • Teledermatologia Os exames na pele são, em sua maior parte, de caráter visual. Observam-se manchas, por exemplo, para saber se são melanomas (um câncer de pele). Sendo assim, tais exames podem ser feitos remotamente, via fotografias de alta definição, enviadas pela internet ao dermatologista. Se for necessária uma biópsia da pele, ela também pode ser realizada em um local de preferência do paciente. Posteriormente, seus resultados são igualmente remetidos ao dermatologista via web;
  • Monitoramento da saúde em tempo real – Eis aqui um exemplo forte de como a tecnologia está transformando os tratamentos de saúde. Usam-se aparelhos digitais (relógios inteligentes, por exemplo), os quais monitoram informações de saúde relevantes do indivíduo, tais como oxigenação do sangue, pressão arterial, batimentos cardíacos, glicemia e outros. Tais dados são constantemente enviados a um médico de confiança do paciente, que, através da análise do material, mantém sob vigilância o bem-estar da pessoa.

Os serviços médicos à distância (também conhecidos como telemedicina) são parte integrante do futuro da prática médica – e também de seu presente. Com ou sem pandemia, eles se tornaram imprescindíveis à boa medicina, e assim deverão permanecer.