Por que investir em mobile first?

Atualmente, existe no mundo cinco vezes mais smartphones do que desktops e os aparelhos móveis são consultados, em média, 150 vezes por dia. Os usuários fazem quase tudo pelo celular, seja troca de mensagens, pesquisas, leituras, assistir vídeos e outros. O Google prevê que até o final de 2015, 53% das buscas no Brasil utilizando o Google Search sejam realizadas em dispositivos móveis. Com esses dados, você já teve ter uma ideia da importância de investir em mobile, independentemente do segmento da sua empresa. Mas esse investimento nem sempre começa exatamente onde deveria. Entenda!

A primeira preocupação de uma empresa que deseja ser acessível a todos os públicos é tornar o site responsivo. Entretanto, com os novos modelos de busca e de perfil de usuários, tornar um site criado para desktop responsivo não o torna, necessariamente, natural ao usuário mobile. Devido esse fator, há alguns anos, tem-se investido em uma nova metodologia de desenvolvimento de sites conhecida como mobile first, ou seja, o desenvolvimento começa pelo mobile e posteriormente é adequado ao desktop.

O que é mobile first?

O mobile first, ou o celular primeiro, é um tipo de metodologia de desenvolvimento de interfaces que prioriza a experiência em smartphones. Um usuário que utiliza um aparelho móvel para realizar uma pesquisa deseja ter acesso a informações com layout diferente daqueles que estão pesquisando em um computador. O celular, normalmente, é usado durante a execução de uma tarefa ou em uma situação mais dinâmica e exige tal eficácia também do site visitado. Apenas diminuir as informações apresentadas ao usuário pode causar estranhamento, dificultar o carregamento dos dados e prejudicar a experiência do consumidor.

Com o mobile first a ideia é que o usuário tenha acesso apenas às informações mais relevantes do site e direcionadas, essencialmente, para a plataforma que é usada para a navegação. Ao pesquisar sobre um restaurante no mobile, por exemplo, o usuário deseja ter acesso rápido ao endereço, telefone de contato ou menu principal. Caso o mesmo site seja visitado no desktop, os objetivos mudam e o usuário terá mais tempo para ver fotos, descrições dos pratos, cardápio, chef e outras informações.

Não se confunda: não é porque os objetivos do acesso são distintos nas diferentes plataformas que um tipo de usuário deve ser priorizado em detrimento do outro. O importante é que a navegação seja intuitiva, independentemente do meio utilizado.

A grande sacada do mobile first é que a metodologia confirmou algo que muitos desenvolvedores e designers já suspeitavam: adequar o mobile ao desktop agrega à experiência em ambas as plataformas, enquanto adequar o desktop ao mobile não oferece à navegação no smartphone toda a dinâmica desejada. Sendo assim, faz todo o sentido que os projetos comecem a serem desenvolvidos do micro para o macro, ao invés de concluir o macro e cortar informações aleatoriamente para que elas sejam visíveis em smartphones e tablets, principalmente se forem considerados o número de usuários que estão atualmente no mobile.

Por que optar por mobile first?

O usuário mobile deseja realizar todas as ações executadas em desktop e o farão se o site oferecer facilidade de navegação, aumentando a usabilidade. As decisões do usuário estão cada vez mais baseadas em micro-momentos (veja mais aqui) decisivos para a venda, caso o site não ofereça uma boa experiência no smartphone, o momento pode ser perdido e a empresa não conquistar o lead.

No Brasil, 22% das compras online devem ser realizadas via dispositivos móveis em 2015. Este ano também é o primeiro no qual dois países – Japão e Coréia do Sul – tiveram mais de 50% das vendas de e-commerce realizadas por mobile. Nos Estados Unidos, 29% das vendas são feitas por esses dispositivos. Isso mostra que é tendência mundial os usuários utilizem smartphones para realizarem suas compras, mas esse consumo está atrelado à qualidade dos sites e e-commerce.

Para que o consumidor efetue essas compras é necessário que ele sinta segurança e praticidade no site acessado. Em breve, não ter um site responsivo e projetado para o mobile pode representar queda nas vendas e perda de clientes.

A jornada do comprador também é mais influenciada pelo celular. Ao realizar uma busca, com 53% de chances de ela ocorrer no smartphone, as ferramentas de busca utilizam uma tecnologia de proximidade, na qual os anúncios são apresentados de acordo com a localização do usuário. Para que esse recurso seja plenamente satisfatório é imprescindível que, ao entrar no site, o cliente tenha uma experiência positiva.

A tendência não é restrita a nenhum setor. O próprio Google atualizou seu algoritmo de buscas em abril de 2015 e passou a priorizar sites responsivos nos resultados da SERP, afetando o posicionamento de 38% dos sites que não estavam adequados a essas diretrizes.

Como é um projeto em mobile first?

O projeto em mobile first não exige mais tempo do que o projeto desenvolvido diretamente para o desktop, entretanto é necessário que seja realizado por uma equipe de marketing digital experiente e que conheça o negócio da empresa. Isso porque o mobile first pressupõe que o site tenha apenas o essencial para uma boa experiência. Essa clareza sobre as informações fundamentais só é possível quando:

  • O público-alvo da empresa está muito bem definido;
  • Os horários e dias de acesso são claros;
  • Sabe-se quais são os dispositivos mais usados para acessar o site;
  • Conhece quais tarefas o usuário deseja realizar ao entrar no site;
  • Conhece quais tarefas serão realizadas em cada plataforma.

Após definir o que é mais essencial, conforme se adeque o conteúdo em uma tela maior (identificando os melhores breakpoints de acordo com o projeto), adiciona-se as informações secundárias e terciárias.

Mobile First já!

Muitas empresas estão começando a se planejar para tornar seus sites responsivos. O que a maioria ainda não identificou é que as compras mobiles já são uma realidade e que parte do público-alvo de todos os segmentos já são portáteis e querem consumir nessas plataformas. Adiar este tipo de investimento representa adiar uma boa experiência para o usuário e os lucros decorrentes dessa nova forma de fazer e fechar negócios.

Guia Prático - Desenvolvimento de Sites