Instagram para médicos e clínicas: 7 Dicas para uma estratégia eficiente

Instagram para médicos e clínicas: 7 Dicas para uma estratégia eficiente

Dentre todas as mídias sociais disponíveis, o Instagram tem se tornado um dos maiores aliados do marketing digital, em especial para a área médica. Para algumas pessoas talvez essa frase não faça muito sentido, já que estamos falando de um segmento que necessita ser técnico e sério com uma ferramenta que é totalmente moderna e visual. Mas, não se enganem com as teorias particulares, elas podem sim trazer grandes resultados juntas.

Algumas especialidades se destacam mais no uso do Instagram, como área de cirurgia plástica, nutrologia e dermatologia. Isso porque como o Instagram é uma rede social de imagens, o apelo estético se torna mais atraente. Mas outras especialidades, como pediatria, ginecologia e obstetrícia, também se favorecem, dessa vez não apenas pelas imagens que podem ser exploradas nesse assunto, mas por se tratar de temas que chamam muito a atenção, especialmente, do público feminino. Todavia, isso não impede que médicos de outras especialidades utilizem essa rede para publicar os seus conteúdos e obter os resultados esperados, até porque o segredo está em saber fazer e ser uma fonte útil para o seu seguidor e não no segmento.

Mas porque usar o Instagram como meio de marketing para médicos?

Assim como em outras redes sociais, o Instagram também tem como objetivo principal o branding (tornar a página/perfil referência no assunto) e relacionamento com os seguidores. Mas além disso, a ferramenta é:

  • Uma das preferidas do brasileiro, tendo 35 milhões de pessoas ativas no Brasil;
  • Utilizado por diversas faixas etárias;
  • Segunda rede social mais utilizada no Brasil;
  • Fácil de manusear;
  • O uso majoritário é por meio de plataforma mobile;
  • O Brasil é o segundo país que mais investe em anúncios no Instagram;

Ou seja, é uma ferramenta de grande poder de atração e onde está, muito provavelmente, os usuários desejados.
Normalmente, os especialistas já utilizam da rede social para uso pessoal, que, com o tempo, acabam sendo seguidos por diversas pacientes que passaram admirar e confiar em seu trabalho. Mas se o objetivo não é ter um monte de paciente vendo onde eles foram comer, o primeiro ponto é migrar a conta pessoal para uma profissional e fazer com que esses pacientes agora sejam informados com dicas alimentares que podem fazer bem à sua saúde e não mais acompanhar a rotina do profissional fora do expediente.

Como utilizar o Instagram sem parecer muito comercial?

Apesar dos especialistas da área médica já estarem mais familiarizados com as mídias sociais, é muito comum ainda ter profissionais com receio de tornar sua conta muito comercial e com isso perder sua reputação. Mas eles podem ficar tranquilos, além de não ser um objetivo pessoal esse também não é das mídias sociais.
Há uma regra que algumas empresas utilizam para equilibrar a rede, que é 10 -4 -1, onde 10 é a quantidade de publicações relevantes que devem ser compartilhadas de outros sites e empresas, 4 é o número de matérias que tem como intuito ressaltar o conteúdo do próprio site e 1 é a publicação comercial.

Então, com base nesse equilíbrio, busque divulgar conteúdos que:

  • Tragam informações relevantes na área de especialidade. O médico é autoridade no assunto, então faça da rede social uma espécie de revista eletrônica, por exemplo;
  • Crie vídeos curtos e informativos sobre assuntos relacionado à área. Os vídeos ajudam os pacientes a se familiarizarem com o médico e criarem conexões emocionais;
  • Publique nas datas comemorativas, principalmente àquelas que são voltadas para a área em questão, como Dia da Nutrição, Dia Mundial do Câncer, entre outros. Isso ajuda a criar empatia com os seguidores e mostrar sensibilidade por parte da clínica/médico.

Dica importante:

Normalmente, os especialistas escreverem termos técnicos nos conteúdos. Porém, nesse meio de comunicação e para a finalidade de atração de novos pacientes/seguidores, essa linguagem não tem espaço, pois muitas vezes não é compreensiva pelo público desejado. É comum o especialista sentir que seu ego pode ser afetado se não colocar uma linguagem mais técnica e formal, mas lembrem-se doutores, essa rede atinge todos os tipos de público, de diferentes classe e escolaridade. Portanto, deixe esses termos para um livro, durante as consultas ou ainda para um papo de médico para médico.

Cuidado com as Diretrizes do Conselho Federal de Medicina

A área médica requer muita burocracia e diante a importância que ela tem, isso é totalmente compreensivo. Por isso, é essencial que o médico ou a consultoria de marketing digital, que foi contratada para cuidar da clínica ou da figura do profissional, esteja alinhado com todas as regras do CFM. O conteúdo completo você pode ver no arquivo do Conselho Federal de Medicina, ele é extenso, mas vale a leitura para evitar futuramente problemas jurídicos.

Os principais cuidados com o marketing digital na área médica são:

  • Anunciar aparelhagem de forma a lhe atribuir capacidade privilegiada;
  • Permitir que seu nome seja incluído em propaganda enganosa de qualquer natureza;
  • Expor a figura do paciente como forma de divulgação técnica, método ou resultado de tratamento, ainda que com autorização expressa do mesmo;
  • Anunciar a utilização de técnicas exclusivas;
  • Informar valores de tratamentos e consultas;
  • Oferecer consultoria a pacientes e familiares como substituição da consulta médica presencial;
  • Entre outros.

As normas do Conselho ainda estão em desenvolvimento e, por isso, as consequências podem depender muito do responsável pela avalição e análise das mídias sociais. Portanto, esteja alinhado o máximo possível com todas elas.

7 dicas para o Marketing Médico no Instagram

marketing médico instagram

Cada área deve respeitar suas particularidades e com isso oferecer os conteúdos adequados. Mas para qualquer uma delas, é importante que respeite, principalmente, as funcionalidades e objetivo da ferramenta. Para o Instagram, siga essas setes dicas:

  1. Utilize as #hashtags: O Instagram é a ferramenta do famoso jogo da velha, então as utilize ao seu favor. Coloque hashtags que façam sentido ao tema e procure verificar quais são as mais publicadas a fim de atrair o público desejado;
  2. Busque criatividade nas publicações: Coloque imagens atraentes, use pequenos infográficos, dados científicos etc. Tudo que possa favorecer para atrair o seguidor para a informação;
  3. Coloque o link na bio: O Instagram é diferente com as publicações de links. Ele não permite lincar um post para outra página, como o Facebook. Por isso, coloque o link do site na bio do perfil e sempre direcione o usuário para ver mais informações na URL divulgada;
  4. Interaja sempre: Seja curtindo ou até mesmo comentando. Lembre-se que qualquer rede social tem como foco principal o relacionamento, e é por meio dele que o profissional conseguirá criar afinidade e confiança com seus futuros pacientes;
  5. Produza conteúdos leves: E sempre muito bem explicados. Nada de termos específicos demais e nem textos extensos;
  6. Publique regularmente: Mas não demasiadas vezes. Cuidado para não ficar cansativo demais. Lembre-se que o usuário está interessado em diversos assuntos além do seu, portanto escolha o melhor horário para passar a informação desejada;
  7. Invista em ferramentas de automações: Atualmente, existem ferramentas de automações que ajudam a curtir, comentar e compartilhar automaticamente. Isso ajuda que o perfil ganhe seguidores mais rapidamente. Só cuidado com exageros e se tornar algo robótico demais.

Para algumas pessoas, a área médica pode soar como algo engessado e que não tem muito o que fazer para eles. Esse pensamento é totalmente ultrapassado, e assim, como qualquer área, é possível se fazer muito com as clínicas e profissionais da área de saúde. Só é preciso que as consultorias de marketing digitais estejam alinhadas com o propósito do médico e com as regras do CFM, e que o especialista seja flexível para se adaptar as mídias sociais. Depois disso é só desfrutar do aumento de consultas e atendimentos médicos.



Nova chamada à ação