Fale conosco pelo WhatsApp

Entenda a diferença entre investimento, custo e despesa

26 de novembro de 2021 | | 2221
Pessoa usando uma calculadora
(Banco de imagens: Shutterstock)

O entendimento da diferença entre esses três termos é essencial para o sucesso de um consultório ou clínica médica

Você sabe quais são as principais diferenças entre investimento, custo e despesa no segmento médico? Entender esses três conceitos é indispensável para quem deseja administrar um consultório. E muitos gestores caem no engano em razão de confundirem ou mesmo acreditarem que as três palavras podem significar a mesma coisa. Confira abaixo como diferenciar os diferentes conceitos.

Investimento, custo e despesa: por que é importante diferenciá-los?

Muitos gestores pecam ao acreditarem que a diferença entre investimento, despesa e custo é irrelevante. No entanto, a verdade é que a boa administração de um negócio precisa ter em vista que cada uma dessas palavras possui a sua importância. Todas elas têm relação direta com os gastos promovidos pela gestão da empresa.

Classificar as expressões adequadamente ajuda o setor contábil da organização a delimitar melhor as despesas, os lucros e até mesmo eventuais prejuízos. E estes podem ser evitados com o melhor domínio acerca dessas informações.

Investimento: o que é?

Para entender melhor sobre investimento, custo e gasto, em primeiro lugar vamos compreender o papel dos investimentos nas organizações de saúde. Embora seja uma despesa similar a custos e despesas, o investimento age como se fosse uma aplicação de recursos.

Resumidamente, o investimento é feito visando um futuro retorno financeiro. É preciso analisar criteriosamente cada investimento da sua clínica ou consultório, uma vez que maus investimentos podem gerar prejuízos. De toda maneira, a intenção dos gestores é que os investimentos se paguem ao longo de um período específicos para, posteriormente, gerarem lucro.

A aquisição de novos e modernos equipamentos para determinado tratamento médico podem ser considerados como investimento, já que eles podem se tornar um diferencial atrativo para a sua clínica e, por consequência, agregarem novos pacientes ao espaço. Outros exemplos de investimento na saúde podem ser:

  • Treinamentos e capacitação de funcionários, como recepcionistas;
  • Marketing digital médico como forma de prospectar novos pacientes e gerar autoridade digital;
  • Novas tecnologias de inovação, como a telemedicina e o prontuário eletrônico;
  • Consultoria jurídica para evitar problemas judiciais;
  • Projetos socioambientais que impactem positivamente a sustentabilidade e a imagem do estabelecimento.

Entendendo melhor sobre despesa

Continuando nosso entendimento sobre investimento, despesa e custo, é chegada a hora de discorrer sobre o segundo termo. Enquanto os investimentos representam um retorno financeiro no futuro, as despesas não se pagam sozinhas, mas são essenciais para o pleno funcionamento da empresa.

Em síntese, a manutenção do seu negócio depende do pagamento das despesas, como o aluguel de um imóvel e contas de energia, água, telefone, internet, passando também pelos impostos e pela remuneração dos colaboradores.

Despesas podem ser lidas como fixas ou variáveis. Enquanto as fixas são as anteriormente elencadas, as variáveis têm uma relação mais direta com o faturamento da empresa, como eventuais fretes ou contratações temporárias – como por exemplo, quando uma funcionária engravida e é aberta uma vaga interina para substitui-la.

Hora de compreender sobre custo

Para encerrar nossa explicação sobre investimento, despesa e custo, falemos um pouco mais sobre o último item deste tripé. Seu entendimento é um pouco mais complexo, uma vez que alguns teóricos apresentam compreensões distintas sobre despesas fixas e variáveis.

Determinados estudiosos afirmam que os custos são apenas os gastos necessários para a produção de bens ou prestação de serviços, o que os assemelha às despesas variáveis. Em outras palavras, o volume de produção de um determinado período pode gerar um gasto um pouco maior do que o mesmo volume em um espaço de tempo anterior. Resumidamente, matéria-prima, insumos, pagamentos de fornecedores e de funcionários freelancers podem ser interpretados como custos.

Agora que você já tem em mente as principais diferenças entre investimento, despesa e custo, é hora de dar um passo adiante na gestão do seu consultório.