Fale conosco pelo WhatsApp

Dicas de Contabilidade para Clínicas Médicas

9 de dezembro de 2021 | | 0
Mesa de consultório médico como Dr. realizando contas
(Banco de imagens: Shutterstock)

A saúde financeira das instituições de saúde depende de boas práticas de gestão contábil. Confira algumas!

Dentre as diversas estratégias que precisam ser pensadas por gestores da área da saúde na hora de investir em seu negócio próprio, sem dúvida a contabilidade para clínicas médicas é uma das mais importantes.

Enquanto ter um bom planejamento de marketing médico ajuda para a consolidação da imagem e autoridade da organização, bem como para a prospecção e fidelização de pacientes, a contabilidade para clínicas médicas é indispensável para que a saúde financeira do negócio seja preservada.

Esse controle do fluxo financeiro da clínica ajuda a organização a ser mais lucrativa, produtiva e sustentável. Nesse artigo, você vai conferir algumas dicas essenciais de contabilidade para clínicas médicas como forma de ajudar o seu negócio a prosperar.

 

Tenha um bom planejamento financeiro

Essa dica pode parecer óbvia, mas não a subestime. Para poder criar um plano de ação para o futuro da sua clínica você precisará dos dados do seu fluxo de caixa.

Com uma análise minuciosa dos dados históricos é possível planejar o futuro, definindo onde e quando os lucros da empresa serão aplicados, além de permitir a correção de eventuais equívocos da gestão contábil.

Em suma, o planejamento financeiro prevê se a sua clínica terá em caixa dinheiro suficiente para novos investimentos, como contratações e compra de novos aparelhos ou serviços.

 

Gastos particulares são diferentes dos gastos da clínica

A contabilidade para clínicas médicas prevê um problema muito recorrente em instituições de menor porte. Infelizmente, esse erro é bastante comum em  empresas de diversos setores, principalmente nas do segmento da saúde.

Custos como combustível, despesas de casa e dos filhos, por exemplo, devem ser contabilizados de maneira independente dos gastos do consultório, tais como:

  • Imposto;
  • Remuneração dos funcionários;
  • Aluguel de espaços;
  • Despesas como luz, água e internet;
  • Materiais;
  • Equipamentos.

Para não cair na cilada de mesclar despesas profissionais com pessoais, crie um pró-labore e possua uma conta bancária destinada para seus gastos particulares. Uma dica importante a ser salientada: custos de viagens a trabalho e cursos de desenvolvimento profissional, por exemplo, podem e devem ser incluídos nas despesas jurídicas.

 

Automatização de processos

A automatização de processos é uma prática que vem crescendo exponencialmente nos últimos anos em empresas de diversos segmentos e que pode ser muito útil na contabilidade para clínicas médicas.

Apenas para exemplificação: os reembolsos das operadoras de saúde não costumam acompanhar a escalada dos custos, o que faz com que médicos tenham que investir em eficiência operacional.

A automatização de processos manuais e os registros de todas as transações financeiras da instituição ajudam na melhoria da produtividade de todos os colaboradores envolvidos no negócio. As consequências podem ser aumento de receita e aperfeiçoamento no atendimento e na experiência do usuário.

 

Acerte na escolha do regime tributário

Para fazer uma boa gestão de contabilidade para clínicas médicas não é preciso dominar assuntos complexos como a tributação. Para essa necessidade, o contador é o melhor especialista. A legislação sofre constantes alterações e é preciso saber qual é o melhor regime tributário para o seu negócio.

Assim, sua clínica ficará a par do melhor enquadramento tributário, pagando menos impostos e se mantendo em dia com os deveres com a Receita Federal.

 

Cuidado e controle na gestão de estoque

Outra etapa muito importante na contabilidade para clínicas médicas é a gestão do estoque. Ela pode passar despercebida por muitos, mas gera bastante impacto na saúde financeira das organizações. E acompanhar os insumos é indispensável para fugir de gastos desnecessários e que poderiam ser evitados.

Algumas boas práticas podem ser seguidas, como fazer um levantamento de itens de maior movimentação para relacioná-los com o nível de importância na rotina. Além do mais, é recomendado fazer uma lista de itens que não possuem substitutos, além daqueles cuja ausência pode prejudicar o dia a dia da clínica.

Armazenar os produtos em categorias e em um ambiente seguro é outra boa prática de gestão de estoque. Por fim, não hesite também em investir em softwares que ajudem na automatização desse controle. Como já dito anteriormente, a automatização de processos é fundamental na contabilidade para clínicas médicas.

 

Leia também: https://wsidm.com.br/blog/como-fazer-uma-boa-gestao-de-clinica-medica/