Fale conosco pelo WhatsApp

Como precificar suas consultas de maneira adequada?

7 de outubro de 2021 | | 0
Médico mexendo em calculadora e notebook
(Banco de imagens: Shutterstock)

Conhecer os custos de sua clínica ou consultório é um dos elementos fundamentais para definir o quanto cobrar

Como precificar suas consultas? Esta é uma questão que muitos médicos, sejam generalistas ou especialistas, têm dificuldade em responder. Há bons motivos para tanto, e um deles é bem previsível: os cursos de graduação em medicina, no Brasil, simplesmente não tocam no assunto.

Uma vez formado, o jovem profissional não tem muitos parâmetros para saber quanto deve cobrar por uma consulta ou tratamento. Há uma série de fatores que influem aqui – e estes, como explicado, são ensinados em faculdades de administração, mas quase nunca nas de medicina.

Porém, é possível conhecer os elementos através dos quais você, médico, chegará ao valor de suas consultas. Como precificar suas consultas é uma dúvida que pode ser sanada. Veja abaixo exatamente o que fazer.

1º) Levante o valor cobrado pelos demais médicos

Nesse campo, não há por que tentar reinventar a roda: o preço da consulta dos outros médicos deverá, aproximadamente, ser o preço da sua consulta. Cobrar muito mais afastará a clientela; cobrar muito menos irá despertar dúvidas sobre sua capacidade profissional.

Mas lembre-se: não é no conjunto dos médicos que você tem de se basear para chegar ao seu próprio preço, e sim nos profissionais que têm as mesmas características que você.

Tempo de exercício da profissão, em especial, é algo a ser levado em conta aqui; compare-se com profissionais que possuem a mesma experiência que você. Também vale a pena pesquisar quanto estão cobrando hoje os colegas que, no passado, formaram-se em medicina na mesma instituição que você.

2º) Conheça os custos de seu consultório

Você só saberá o quanto deve cobrar de seus pacientes se, antes, souber o quanto gasta para manter sua clínica ou consultório. Considere, para tanto, principalmente:

  • Custo dos materiais adquiridos;
  • Custo de sua folha de pagamento;
  • Custo em impostos e tributos;
  • Custo com a manutenção de seus equipamentos;
  • Custo do aluguel do imóvel de seu consultório, se for o caso.

Depois, coloque esses e outros itens em uma planilha. A média mensal de gastos que esta planilha demonstrará deverá ser seu principal referencial ao precificar suas consultas.

3º) Leve em conta a localização e o porte de seu consultório

A qualidade e o tamanho das instalações de seu estabelecimento precisam entrar também neste cálculo. Via de regra, quanto maior um consultório, mais caro mantê-lo. Isso tem de ser repassado para o preço das consultas.

Já a localização é algo relativo, pois um endereço excelente para um paciente pode ser ruim para outro. Mas imóveis de fácil acesso, em bairros com boa estrutura e segurança justificam um acréscimo no valor de cada consulta ou tratamento.

4º) Quanto custa sua equipe?

Os profissionais de seu consultório são altamente preparados? Todos, inclusive os não-médicos, fazem constantes treinamentos para se manterem atualizados profissionalmente? Você os remunera bem? Caso todas as respostas a estas perguntas sejam “sim”, então isso tem um preço, o qual vai se refletir no valor de cada consulta.

5º) De quanto será seu salário?

Eis aqui outro ponto que não pode ser esquecido.

Você investiu anos de sua vida, e muito dinheiro, para se tornar o médico que é. Trabalha bastante para poder ter e proporcionar à sua família um bom padrão de vida. Quanto quer ganhar por mês, em função de tudo isto, é uma pergunta que cada profissional do ramo deve fazer a si mesmo.

Considerados todos esses fatores, o médico chega enfim à conclusão sobre como precificar suas consultas.

A partir de então, vale a pena pensar em investir, por exemplo, em estratégias de marketing digital, as quais irão alavancar a quantidade de clientes em seu consultório, fazendo com que seus ganhos aumentem sem que exista a necessidade de cobrar mais caro pelo atendimento.